09
MAR
2017

Embasa inicia instalação de sistema de bombeamento para garantir segurança hídrica da RMS

Com o objetivo de garantir a segurança hídrica em Salvador e Região Metropolitana, um sistema de bombeamento está sendo instalado pela Embasa para fazer a reversão do lago de Santa Helena para o rio Jacumirim, que abastece a barragem de Joanes II, um dos principais mananciais que abastecem a região. Foram investidos R$ 2.5 milhões na aquisição dos equipamentos que possibilitarão o acréscimo de quatro mil litros por segundo (l/s) no volume de água do rio.

As obras no lago de Santa Helena, situado entre as cidades de Dias D’Ávila e Mata de São João, tiveram início na segunda-feira (6) e a previsão é de que o sistema entre em funcionamento ainda esse mês. A barragem de Joanes II, que faz parte do sistema integrado de abastecimento de água da região metropolitana de Salvador, está com nível abaixo do esperado para essa época do ano em consequência da estiagem prolongada que atinge a região.

De acordo com dados do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), a Bahia vive a pior seca dos últimos 50 anos. A estiagem que atinge o estado está reduzindo o nível dos mananciais utilizados para o abastecimento humano em diversas áreas, incluindo a Região Metropolitana de Salvador (RMS). “Estamos investindo para garantir a segurança hídrica da RMS, mas diante do baixo índice pluviométrico dos últimos quatro anos, agravado nos últimos meses, é importante que a população economize água, preservando o recurso disponível. Também vamos intensificar a campanha de incentivo ao uso racional da água, que fazemos anualmente com a finalidade de conscientizar a população”, alerta o presidente da Embasa, Rogério Cedraz.

Mais ações do Estado
A Embasa também está estudando a perfuração progressiva de 14 poços em uma área próxima à Estação de Tratamento de Água (ETA) Principal, no município de Candeias, com custo estimado em R$ 50 milhões, que proporcionarão o aumento de mil litros por segundo no volume de água disponível para o sistema.

Como obra de maior porte, a empresa está prestes a licitar a obra da primeira etapa da ampliação da captação na barragem de Santa Helena, com recursos orçados em R$168 milhões. Essa obra prevê a implantação de uma adutora de água bruta com extensão de 10,7 km, em paralelo às duas adutoras já existentes, além da instalação de cinco equipamentos de bombeamento novos na estação elevatória de água bruta existente e de melhorias em sua infraestrutura.

Considerando-se a totalidade do empreendimento (que é dividido em quatro etapas), a ampliação do sistema de transposição das águas de Santa Helena para a barragem de Joanes II tem previsão de elevar a produção de água em volume equivalente a 50% da atual demanda do sistema. Em suas quatro fases, o empreendimento prevê investimento total estimado de R$ 890 milhões, com projeto em elaboração para posterior captação de recursos.

Volume de chuvas
Dados do Inema registram que, na bacia hidrográfica do Recôncavo Norte, o volume de chuva ficou entre 40% e 60% abaixo da média, no período entre fevereiro de 2016 e janeiro de 2017. Em Salvador, foram registrados 1.116,8 mm (46,7% abaixo da média), em Lauro de Freitas 1.330,8mm (34,3% abaixo da média) e, em Camaçari, 1.112,7 mm (43,7% abaixo da média).

Em decorrência da falta de chuvas na região, os rios não estão conseguindo repor a água dos reservatórios, que estão com volume abaixo do esperado para esta época do ano, quando o consumo aumenta por causa do verão. Essa é uma situação climática atípica, por isso a Embasa está alertando a população de Salvador para que adote hábitos racionais de consumo de água, utilizando apenas o necessário e evitando desperdício.

Nível dos mananciais
Responsável por cerca de 60% do abastecimento da RMS, a barragem de Pedra do Cavalo, que recebe água da bacia do rio Paraguaçu, está com 63,89% da sua capacidade total de acumulação. O restante do sistema é abastecido pelas barragens de Joanes I (atualmente com 80,51% de sua capacidade total), Joanes II (44,22%), com menor contribuição dos reservatórios de Ipitanga I (46,35%) e Ipitanga II (29,62%). Salvador conta ainda com a barragem de Santa Helena que, no ponto de captação atual, situado no rio Jacumirim, encontra-se com 62,16% da sua capacidade total. Esse reservatório reverte água para Joanes II.

Quando considerado o volume útil, calculado entre o nível máximo e o nível de captação da água, os reservatórios apresentam atualmente os seguintes percentuais de armazenamento: Pedra do Cavalo (24,94%), Joanes I (57,91%), Joanes II (19,09%), Ipitanga I (26,33%), Ipitanga II (29,32%) e Santa Helena (15,57%).

A situação requer cuidados porque o período chuvoso mais significativo para a área leste da Bahia, que inclui as bacias hidrográficas do Joanes e do Paraguaçu, é previsto para se iniciar somente em abril, embora chuvas fortes isoladas possam acontecer até lá. Diante dessa perspectiva, a Embasa está alertando a população para reforçar as medidas de economia de água e reforçando suas ações de combate a fraudes.

Fotos: Divulgação/Embasa

Download PDF

Deixe uma mensagem